sábado, 28 de junho de 2008

Morador de Rua Vira Funcionário do Banco do Brasil

Ele carregava pasta com cópias de apostilas e estudava em praças e bibliotecas públicas.

Mais uma vez a determinação e a oportunidade deram um banho na demagogia de figuras como Severino Cavalcante (ex-deputado federal pernambucano) e nos seus comparsas da nossa classe política viciada pelo nepotismo.

Um morador de rua, no Recife, de 27 anos, a 12 vivendo nas ruas da Veneza Brasileira, foi aprovado em 2007 no concurso do Banco do Brasil em 136º colocado. Esta semana foi convocado e se tudo der certo nos exames de saúde passará a ser um dos colegas do Banco do Brasil na primeira semana de julho no CSO Recife.

Este brasileiro fugiu de casa aos 15 anos e abandonou os estudos, tendo mais tarde adquirido o 2º grau devido aos exames supletivos e já participou de outros 4 concursos de nível médio, sendo aprovado neste do Banco do Brasil, um certame que contou com mais de 19 mil inscritos só em Recife.

Pegou apostilas pela internet, as quais teve acesso nas lan houses do Recife, ele afirmou ao site G1 que as vezes tinha que escolher entre comer ou acessar a internet. E foi pela rede mundial de computadores que ficou sabendo de sua aprovação.

A mais de 1 ano que ele caminha com o comprovante de aprovação pelas ruas da capital pernambucana.


Enquanto isso neste ano de eleições, dezenas de maloqueiros, vagabundos que sempre tiveram boas vidas vivem seus momentos de ambição e imundice, tramando, articulando e até brigando para ocuparem uma das vagas nas nossas câmaras municipais, tendo como único desejo, com seus candidatos a prefeitos vaidosos e igualmente imundos, sugar os recursos públicos, gerados pelos nossos impostos.

É lastimável ver o potencial de uma pessoa como esse rapaz e saber que existem "almas sebosas" a nossa espreita, querendo nosso voto como munição para seus planos maléficos. Víboras que muitas vezes não sabem o quanto custa o suor do rosto de um trabalhador.

Eu não voto nesse tipo de gente!