sexta-feira, 26 de setembro de 2008

Os Ricos Candidatos Lajenses 1

Neno e Dudui declararam ao TSE não possuir bens, os únicos que declararam possuir bens ao TSE foram Zé Uilson, Pedro Matias e Luiz Daniel, dentre estes o mais abastado é Luiz Daniel, confira os dados retirados do site do TSE.



Devido ao grande número de visualizações neste blog e ao pequeno número de pessoas acessando as informações sobre nossos candidatos a prefeito e vice, achei por bem divulgar aqui algumas informações divulgadas no site do TSE relativos aos nobres candidatos.

Segundo esses dados Marcio José da Fonseca Lyra, o Dudui, ex-vereador, ex-vice e ex-prefeito, derrotado nas últimas eleições municipais, é nascido em 26/01/1965, contando portanto 43 anos de idade, possui o ensino médio incompleto e é pecuarista. Dudui afirmou ainda não possuir bens.
Dudui apoiado pelos partidos PMN/PP/PT, disse ao TSE já ter recebido por meio de doações de pessoas físicas e do seu partido o PP, o valor equivalente a R$ 25.977,80 e já havia gasto R$ 28.226,82.

Seu candidato a Vice-Prefeito, o atual vereador José Uílson Morais de Andrade, nasceu em 24/04/1966, é casado, empresário e possui o curso Superior Completo (não informa em que área do saber) e segundo sua declaração ao TSE é possuidor de um patrimônio que perfaz o total de R$ 99.707,69.
Apresenta-se um homem preocupado com o futuro, quando deixará de trabalhar e passará a viver dos frutos do seu trabalho, é investidor do InvestPrev, onde possui R$ 13.707,69 investidos num plano de previdência privada PGBL, possui R$ 22.000,00 em espécie, moeda nacional (R$) e dois ônibus no valor de R$ 64.000,00.

Já o atual prefeito e candidato a reeleição Paulo Roberto Pereira de Araújo, o Neno, declarou ao TSE não possui bens mas declarou ser Pecuarista. Neno foi prefeito durante os anos de 1997 a 2000, quando foi derrotado pela chapa Luiz Daniel-Dudui e regressou a prefeitura para o mandato 2005 a 2008, após vencer Dudui, então candidato a reeleição, devido o afastamento do titular, Luiz Daniel, em fins de 2003.

Segundo o TSE Neno ( PRB / PTB / PMDB / PSC / PR / PRTB / PRP / PV ) possui o ensino médio completo, nasceu em 10/12/1958 e até o momento havia arrecadado para sua campanha R$ 15.000,80 e gasto R$ 14.895,00.

Já seu candidato a Vice-Prefeito, atual vereador José Amauri da Fonseca, apresenta-se como um homem de poucas posses, constando na sua declaração de bens apenas R$ 55.000,00, sua casa na rua Cel. Carlos Lyra e seu sítio Bananeira, com 8.5 ha, sendo R$ 30.000,00 e R$ 25.000,00 respectivamente. Amauri nasceu em 13/01/1943 e é agricultor e já está na 6ª (sexta) legislatura como vereador municipal, isto é, há 24 anos como vereador. É viúvo e possui o ensino fundamental incompleto.

O candidato a prefeito mais abastado é o atual Vice-Prefeito, Pedro Matias de Albuquerque, nascido em 26/04/1960, solteiro, empresário. apoiado pelos partidos (PTN / PSDB / PHS / PDT / DEM / PPS / PSB ). Seu patrímonio declarado ao TSE chega a exatos R$ 174.000,00, possui 3 carros e um apartamento na Ponta Verde, este no valor de R$ 80.000,00.
Pedro Matias já foi presidente da falida e enterrada Cooperativa de São José da Laje, vereador e é o atual Vice-Prefeito, tendo assumido o cargo do titular durante seu impedimento no inicio do atual mandato eletivo.

Sua prestação de contas ao TSE diz que não arrecadou nem gastou durante sua campanha.

Seu Vice, o ex-prefeito Luiz Daniel, nascido em 22/05/1929, agricultor, é ainda mais rico, chega a possuir segundo sua declaração de bens ao TSE R$ 780.000,00 constantes do sítio São José da Laje e sítio Ipiranga, sendo R$ 700.000,00 e R$ 80.000,00 respectivamente.
Luizinho como é mais conhecido foi vereador e eleito prefeito por 2 vezes, da última teve seu mandato ceifado pela justiça por improbidade administrativa, quando foi tirado da prefeitura e em seu lugar assumiu o então Vice-Prefeito, o Dudui.

No Rio 93% dos Projetos Apresentados Por Vereadores São Banais

Segundo a Transparência Brasil, 93% dos projetos apresentados pelos 50 vereadores da capital carioca, são irrelevantes. Veja se em São José da Laje também não é assim.



Entre 2005 e 2008, os 50 vereadores que compõem a Câmara Municipal do Rio apresentaram 2.978 projetos. Aprovaram-se 1.572.

Desse total, apenas 209 (7%) trataram de temas com alguma relevâncias para a vida dos cariocas ou para o funcionamento da prefeitura.

O resto (93%) compõe um lote de projetos que foram ao arquivo ou, quando aprovados, não tiveram a menor relevância.

Na menos que 1.612 projetos formulados por vereadores cariocas propunham coisas tão banais quanto o batismo ou rebatismo de logradouros, fixação de datas comemorativas, homenagens a pessoas ou entidades, etc.

Deve-se a análise dos projetos à Transparência Brasil. A entidade já divulgara estudo semelhante sobre a produção legislativa de São Paulo. Ali, verificou-se que a taxa de irrelevância dos projetos é de 91%.


Você conhece algum projeto dos vereadores de São José da Laje para beneficiar a população lajense?


Fonte: Blog do Josias