sábado, 12 de dezembro de 2009

A Disney e Suas Princesas...

Em tempos de presidente dos EUA negro, a Disney inova apresentando sua mais nova princesa, representada por uma jovem negra. De Branca de Neve até Tiana já se foram mais de 70 anos, veja abaixo uma cronologia da ideologia passada pelos estúdios Disney ao longo destas 7 décadas!
Desta vem com A Princesa e o Sapo a Disney protagoniza seu primeiro filme em desenho animado em que uma princesa negra aparece protagonizando a história, um detalhe, desta vez o enredo é bem diferente, os estúdios da Disney transformaram a princesa num sapo...
Veja o trailer dublado:
Veja matéria completa no site da Globo.com, clicando aqui. Vale a pena conferir.
Perceba como a ideologia dominante enrustiu e propagou os valores da burguesia ao longo destes 70 anos.

domingo, 29 de novembro de 2009

Hasta la vista!

Segunda-feira, meu primeiro dia de trabalho em Colônia de Leopoldina...
(Preparado para publicação em 30/11/2009)


Hoje fui passear pelas ruas da cidade,

São José da Laje agora é minha pousada,

Deixo aqui amigos, filho, lembranças

E a mulher amada...



Não quero dizer que não voltarei,

Este é o meu desejo para um futuro próximo

Porque aqui começarei, neste tempo,

Uma revolução de pensamentos e ossos...



Vi a prefeitura municipal

toda pronta, com muitas luzes, um jogo,

E a praça Clarício Valença também celebrando o Natal

Iluminada com bolas de fogo...



Quando no calor leopoldinense

Meus pensamentos e saudades trazerem-me aqui,

Lembrarei da brisa lajense

E fecharei os olhos para sentir,



Sentir que posso voltar no final do expediente,

Que não estou preso!

Que na Laje tenho meu castelo

E dentro uma família real para receber-me com um bejio...



E tchau.

sexta-feira, 20 de novembro de 2009

Faleceu Hoje José Pereira Neto (Drº Neto).

É com pesar que informo aos meus conterrâneos ausentes e presentes que faleceu nas primeiras horas de hoje aos 57 anos de idade o médico e pecuarista José Pereira Neto, mais conhecido entre nós como Drº Neto, filho do senhor "Juca de Moça".

Drº Neto, como era mais conhecido nasceu em 25/12/1952, foi um presente de natal para sua família. Viveu toda sua vida em São José da Laje, excetuando-se aí o período em que se dedicou aos estudos. Filho do "Seu Juca de Moça", pertencia a uma família de pecuaristas muito respeitada e conhecida por todos desde o início do século passado, seu pai ainda vivo, assim como ele representavam uma classe de pessoas conhecidas por sua firmeza de palavra e honra nos negócios em que eram partes.

Aqui em São José da Laje Drº Neto foi político, tendo assumido por 3 legislaturas a vaga de vereador no nosso parlamento municipal, seu sonho era ser prefeito em nossa cidade e devido a isso aliou-se com as mais diversas correntes políticas lajenses, recentemente fora candidato a vice-prefeito em 2004 pelo PT na chapa encabeçada por Marcio Lyra (Dudui), naquela eleição derrotado pelo ex-prefeito Paulo Roberto, o Neno da Laje.

Como retaliação, a portaria de nº 1, do Gabinete do Prefeito em 01/01/2005 foi a devolução do médico José Pereira Neto (Drº Neto) ao governo do Estado de Alagoas (onde era funcionário), sinceramente acredito que o Neno não tem muito o que se orgulhar deste ato, uma vez que se mostrou um mau ganhador, tanto quanto os maus perdedores que existem na política brasileira.

Devido a isso o médico Drº Neto, ultimamente desempenhava suas funções na vizinha de cidade de Ibateguara, acredito também em sua casa como é natural aos médicos aqui residentes quando procurados pelos lajenses.

Trabalhamos Juntos

Em 2000, o então aliado do prefeito Neno (gestão 1997-2000) Drº Neto substituiu a Drª Maria do Socorro Teotônio (Drª Maria) a frente da Secretaria Municipal de São José da Laje.

Neste momento foram entregues equipamentos tais como balanças e mochilas além da apresentação do novo secretário.

Mais tarde, já durante a administração de Luiz Daniel (2001-2003) e Dudui (2003-2004) trabalhamos na Equipe de Saúde da Família do Centro 2, cuja sede é até hoje na Av. Arlinda Véras. Como médico da equipe de saúde já havíamos trabalhado antes durante alguns meses na Equipe de Saúde da Família do Juriti, mas a experiência foi maior desta última vez.

Casos e Causos

Drº Neto era uma figura alegre mas ao mesmo tempo firme. Em alguns momentos entre uma visita e outra conversava bastante conosco (eu era então agente de saúde).

Lembro-me que em um dos seus causos e casos ele contava que estudava em Maceió, numa época em que os rapazes "estudados" eram muito cobiçados para trabalharem no comércio, as pessoas com bons estudos eram poucas na época. Seu pai o havia enviado para a capital tão somente para estudar e voltar de lá "Doutor". Drº Neto jovem, resolveu, mesmo com a ajuda que seu pai lhe mandava, arrumar um emprego. Disse-me ele que um dia foi surpreendido por "Seu Juca" no seu posto de trabalho, furioso por encontrá-lo trabalhando quando deveria estar dedicado exclusivamente aos estudos, segundo ele seu pai lhe disse: "Quer trabalhar? Vamos lá pra fazenda! Eu mandei você aqui para ser Doutor não foi pra trabalhar de empregado numa loja não!".

Seu Juca deve ter ficado muito feliz porque seu filho amado tornara-se realmente um Doutor...

E é pra isso que os pais trabalham mesmo não é? Dar aos filhos a melhor educação possível!

Paixão pela Terra!

Drº Neto era um homem de vida simples apesar de médico e pecuarista não largava mão de um bom cavalo e de trabalhar todos os dias junto dos seus empregados nas suas propriedades. Quando arrendatário da fazenda hoje do Senhor Reginaldo Batista, na entrada da cidade, era possível vê-lo as 6 horas da manhã "na lida" diária da fazenda, era um verdadeiro "Doutor Cowboy".

Uma mensagem aos seus familiares

Recebi a triste notícia de que estava doente do próprio Drº Neto. Sempre animado o vi chegar ao meu local de trabalho triste, seu semblante não era o de costume, então cumprimentei-o e me disse que estava numa grande batalha. Falou-me de sua luta não como cliente da instituição financeira onde trabalho mas como o colega do posto de saúde. Fiquei triste mas não demonstrei, apertei-lhe a mão e disse que venceria.

Bom, hoje dia 20 de novembro estava eu chegando a agência do Banco do Brasil em Colônia de Leopoldina, por volta das 8 horas quando o colega conterrâneo nosso "Betão" falou-me de sua partida aos braços do Senhor Deus. Senti que a nossa Laje perdeu um grande cidadão, sem demagogia alguma. Liguei para meu ex-chefe, já aposentado e comuniquei o fato, lamentou que por estar no Recife não poderia vir a seu velório. Eu fui mas não tive coragem de entrar e vê-lo como eu estarei um dia, no sono profundo do descanso eterno, e como vi gente que eu amava, não consigo ver um amigo partir e não saber o que dizer para confortar seus familiares, sinto-me impotente. Já perdi um irmão e sei a dor que sentem neste momento. Mas as pessoas que amamos são imortais, podem viver para sempre em nossos corações. Nossas boas lembranças os farão viver para sempre.

A fé em Deus confortará a todos.

Fica aqui minha homenagem ao amigo que partiu aos braços do Senhor Deus Jeová!

sexta-feira, 13 de novembro de 2009

De São José da Laje para Colônia de Leopoldina

Em maio de 2005 fui convocado para assumir um emprego público conquistado com muito esforço no concurso público do Banco do Brasil em 2003. Fui convocado para trabalhar na agência Marechal Deodoro mas tive a oportunidade de permutar a vaga com um colega e fiquei na minha amada São José da Laje, não me arrependi.
Mas o conforto e a comodidade de trabalhar na cidade onde eu vivi e viverei muito tempo ainda na minha vida não iria durar para sempre e nesses 4 anos adquiri conhecimento e incorporei o desejo de ir adiante na empresa que me possibilitou tranquilidade estabilidade emocional, financeira (o salário é baixo mas a gente não precisa ficar com medo, todo mês cai no dia certo).
As oportunidades surgiram e não estava pronto para algumas mas continuei na luta e surgiu a tão esperada vaga em Colônia de Leopoldina, junto do amigo Betão, com quem trabalhei 2 destes 4 anos aqui na Laje.
Fui promovido e incubido de uma nova missão, estarei junto aos cidadãos de lá, mas pensando sempre nos daqui, porque aqui ficará toda a família e voltarei nos fins de semana para a brisa da Laje.
Assim como não decidi ficar na Laje por falta de oportunidade, pois quando convocado para o BB fui para Marechal Deodoro (e permutei a vaga para Laje) e estava nomeado Escrivão de Polícia Civil do Estado da Paraíba (vide D.O da PB 12/04/2005 www.paraiba.pb.gov.br), agora estou indo por necessidade de conhecer e conquistar novos lugares na vida profissional, porém tudo teve por base o aprendizado na Laje, com o meu povo lajense, sem sua compreensão eu não teria chegado a lugar algum.
História e Currículo
Fui aluno da professora Madalena Cardoso (graças a Deus ainda viva) na Escolinha São Luiz na rua da Matança (oficialmente Umbelino Valença), depois no então Grupo Escolar Carlos Lyra (onde só fiquei uns meses) e Grupo Escolar Presidente Médici (1ª a 4ª série), mais tarde voltei ao Carlos Lyra para cursar a 5ª e 6ª séries e mais tarde conclui o primeiro grau no Benício Barbosa. Como quase todo lajense da minha época (final dos anos 90) conclui o curso Técnico de Contabilidade em 1999 no São José (sim o diretor era "Seu Assis" e a secretária "Dona Zita").
Em 2001 ingressei na Universidade Federal de Alagoas no curso de Licenciatura em Hístória (disciplina que adoro), casei (mas só fui pai em 2003) e passei por muitas dificuldades financeiras que de uma forma ou de outra marcaram minha vida.
Meu salário era de R$ 180,00 e minha esposa estava desempregada após não ter sido aprova do no concurso da Prefeitura (época de Luizinho), nosso aluguel era de R$ 70,00 (na vila de Zé Barraqueiro). Em 2004 fomos aprovados no concurso para Agente de Saúde e nós dois começamos a trabalhar, foi um ano abençoado. Mudamos para uma casa maior, saímos de uma de R$ 55,00 (na rua Ernesto Bezerra - Passagem de Maceió) e fomos para uma de R$ 80,00 na rua Pref. Antonio Ferreira).
A esta altura ainda esperava pela nomeação na Paraíba e no Banco do Brasil aqui em Alagoas, mas parecia que não viria. Tudo veio no mesmo mês. E minha esposa aprovada em 2004 no concurso da Empresa Brasileira de Correios e Telegrafos - ECT também esperava por dias melhores.
Tenho que ir trabalhar, mais tarde continuo a postagem.

sábado, 7 de novembro de 2009

Sejam Bem Vindos ao Verão Lajense!

O calor explode no coração de São José da Laje. No Bar do Mita, lá na rua do Pontilhão a cerveja gelada espera pelo lajense que vem matar as saudades da sua terra natal. Por todo o território lajense, rios e cachoeiras esperam a visita dos seus filhos mais saudosos...
Apesar de não estarmos tão distantes das praias de Maceió e Maragogi (via BR 316 a rodovia federal que liga Ibateguara a Colônia de Leopoldina, daí Palmares, e finalmente Maragogi), a visita a uma destas é inviável para os lajenses que têm pouco poder aquisitivo.
Mas nem por isso ficamos sem nossos banhos de cachoeiras e rios. Nossa região é privilegiada com lugares divertidos e inusitados, abertos ao público ou privados, mas lindos como tudo tem que ser na Laje.
Esta semana estive na Inhumas, Maria Maior (USGA) e também na Serra da Catita, entre Ibateguara e Colônia de Leopoldina e captei algumas imagens para que meu amigos do blog vejam e se deliciem de saudades da nossa terrinha...
Veja o slide abaixo:

domingo, 4 de outubro de 2009

IPI reduzido = FPM reduzido = Demissões na Prefeitura

Redução do IPI faz reduzir FPM e a prefeitura de São José da Laje demite dezenas de servidores contratados que prestavam serviço a administração municipal.




Esta semana São José da Laje foi varrida pelo resultado catastrófico da política de geração de cargos públicos prometidos durante a campanha eleitoral suplementar 2009.
São José da Laje é um município pobre que em 2008 teve R$ 2.568.292,00 distribuídos pelo governo federal através de transferência direta de renda (Bolsa Família), isto é, de Bolsa Família pagou-se 32% do valor do FPM diretamente a pessoas físicas beneficiárias.


Mesmo prevendo tal queda na arrecadação a administração municipal foi benevolente com as contratações e isso foi bom num primeiro momento.
Com mais dinheiro circulando na economia local o comércio reagiu bem. Infelizmente o sonho durou pouco e os eleitores que votaram pensando que se manteriam 4 anos "empregados" não foram muito além dos 4 meses...
Vejam que já estamos no mês 10 de 2009, faltam apenas 2 meses para acabar o ano e o FPM total recebido pelo município é pouco mais de 50% do total recebido nos 12 meses do ano passado.
Os números disponíveis no Portal da Transparência do Governo Federal mostram que de janeiro até setembro de 2009 São José da Laje recebeu apenas R$ 58,25% do total do FPM repassado em todo o ano de 2008. A pergunta é: Como suportar tanta gente recebendo salários da Prefeitura Municipal se este futuro sombrio já era esperado?


Em 2008 o valor do Bolsa Família aqui na Laje foi de 32% do FPM, este ano devido a queda do fundo o valor pago pelo programa federal de transferência de renda já corresponde a 40,12% do valor do FPM, dá pra entender o dilema?

Como nem todos os bens e serviços adquiridos pela municipalidade são prestados por empresas locais podemos dizer que o comércio local tem sobrevivido somente de Bolsa Família e dos benefícios da Previdência Social, a folga virá agora com a moagem da Usina Serra Grande.


As razões para o caos ou Por que as prefeituras têm demitido tanto?


Com a crise financeira capitalista que aplacou o mundo globalizado o governo federal resolveu reduzir o IPI de automóveis e de alguns eletrodomésticos (a chamada linha branca).
O volume de vendas desses bens contribui com a maioria do valor arrecadado com o IPI, um dos impostos que dão origem ao valor distribuído pela União a título de FPM, o qual é a principal fonte de renda de municípios pobres brasileiros, dos quais São José da Laje não fica de fora.
Moral da história, a venda destes produtos continuou aquecida e ilesa durante a crise mas agora essas prefeituras começaram a sofrer, devido a redução já esperada, alarmada e anunciada devido a redução no volume de sua maior fonte de recursos: O FPM.

Segundo o Jornal do Povo, citado pelo portal 180graus "O Governo vai aquecer a indústria automobilística, mas ao mesmo tempo, reduzir significativamente e perigosamente o FPM.
Mais de 90% dos municípios brasileiros estão prejudicados com esta medida. Os prefeitos estão preocupados, porque não terão como honrar os compromissos assumidos”. e ainda ressalta a fórmula que deveria ser seguida para continuar tocando os pequenos municípios: "... a direção da APPM (Associação Piauiense dos Municipios) já orientou aos prefeitos negociar com fornecedores, suspender novas obras, reduzir o ritmo de obras em andamento, e negociar até mesmo o repasse do duodécimo para as Câmaras Municipais, devido a queda nos repasses do FPM".

E esta fórmula, porque não foi seguida? Não só em São José da Laje mas em todo o país, por onde se multiplicam os números de demissões de servidores.
União dos Palmares também demitiu centenas de servidores contratados após o pleito de 2008 e o mesmo deve ter se repetido em outros municípios.


Foi posta uma faixa preta na sede da Secretaria Municipal de Educação em São José da Laje, izem que em sentimento as dezenas de servidores demitidos pelo corte da administração pública municipal, mas os opositores do prefeito Dudui não deixaram por menos: dizem pela cidade que mataram os funcionários e puseram uma faixa de tristeza, coisa da política local.

Veja os números do FPM em São José da Laje nos anos de 2006 a 2007 e até setembro de 2009:


Ano Valor R$
2006 5.499.414,67
2007 7.523.717,30
2008 8.019.707,90
2009 4.671,705,67


Opinião


Em tempos de economia globalizada e flexível ocupar um cargo ou emprego público é símbolo de estabilidade empregatícia, ainda é, mesmo com a tentativa do PSDB de acabar com isso nos 8 anos em que governou o país.
E nos pequenos munícipios a coisa funciona assim, o cidadão ocupante do cargo de prefeito, pra se reeleger ou eleger seus amigos incha a administração municipal com servidores, assim segundo dados do IBGE garante de 2 a 4 a votos em média. O cidadão que tá querendo se eleger promete aos seus possíveis eleitores os mesmos empregos ou cargos públicos e quando vence as eleições admite-os ou não, quando isso acontece quase sempre é sem concurso público mas ninguém diz nada porque tá todo mundo satisfeito, quando vêm as crises políticas ou financeiras (como agora) as demissões são enormes.
Em 2004 eu vi isso de perto, após um concurso público 40 pessoas foram afastadas da administração pública municipal para que fossem empossados os legítimos ocupantes dos empregos públicos oferecidos no certame. Eu fui admitido neste concurso mas e se não tivesse sido?

O que quero dizer é...


Enquanto nós jovens lajenses ficarmos engolido conversa fiada dos políticos atuais daqui vamos sempre esperar pela Prefeitura para construir nosso sonhos e a Prefeitura não dá pra todos!
O poder público não dá pra todos em esfera nenhuma!
Nações, Estados e Cidades onde a Administração Pública é o maior empregador são pobres e sua população beira a miséria! A economia não anda e a corrupção é extrema porque todo mundo só vende ou depende do poder público.
Esse modelo de administração está ultrapassado.

O que fazer?

Não ficar acreditando que os prefeitos podem resolver tudo!
Não acreditar em políticos que em vez de tentar resolver algum problema tentam se provomer em cima deles (aqui tá cheio de gente assim).
Não vender o voto!
Não votar em candidatos a vereador que não tenham origem nas bases da sociedade, isto é, não voltem "nos mauricinhos"!
Cobrar dos gestores públicos outras estratégias para atuação governamental que fomente o desenvolvimento, e isso não é fácil.
Não acredite em quem trabalha por você, é a maior mentira da política atual. Você quer trabalhar por alguém? Quer mesmo?
Estudar ou observar o mundo procurando oportunidades que dêm mais independência e liberdade.
Se tiver insatisfeito e não tiver outra alternativa: candidate-se. Você é o melhor candidato!
Não acredite que política é coisa de bandido! Política é coisa de homem de bem, o problema é que nós deixamos que pessoas sem escrúpulos dominem o cenário político.
10º O bom de votar é que quando o cara não presta a gente pode não votar nele da próxima vez!


Fontes: www.transparencia.gov.br
www.180graus.brasilportais.com.br

Usina Serra Grande Inicia Moagem 2009/2010

Domingo dia 27 de setembro: Usina Serra Grande dá o apito inicial a moagem 2009/2010.


No último domingo de setembro foi realizada a missa em ação de graças pelo início da moagem 2009/2010.

Tradicionalmente a Usina Serra Grande no primeiro domingo após o início da moagem permite a visitação dos lajenses presentes e ausentes às instalações internas da indústria. É uma oportunidade de ouro para quem deseja conhecer uma usina por dentro e por alguns minutos em pleno funcionamento.

Nesta oportunidade são apresentados os dados da moagem anterior e as metas para a moagem que se inicia, além de realizar-se uma missa dentro da usina, onde o industrial Luiz Antonio de Andrade Bezerra, atual proprietário da USGA recebe familiares, fornecedores, e demais pessoas da sociedade interessadas em visitar as dependência da usina.

A segurança é realizada pela vigilância da empresa. Os vigilantes devidamente fardados e bem atenciosos dão informações sobre o trajeto da visita e cuidam para que não se vá além de onde seja devidamente seguro.

Antes da missa a Usina é praticamente desligada, após esta é realizada uma prece no centro da casa de máquinas da indústria, o padre segundo a tradição católica benze as máquinas com orações e água benta e é dado o primeiro apito - símbolo oficial do princípio da moagem da safra 2009/2010.

O Padre Antônio Alexandre, paróco das paróquias de São José e Nossa Senhora de Lourdes foi o celebrante da missa. Este parece renovado depois da longa batalha pela vida durante este ano de 2009 e exibiu o sorriso de sempre, já conhecido pelos lajenses.

Ainda estavam presentes o prefeito municipal, Marcio Lyra (Dudui), os vereadores Cícero Rosalino (presidente da Câmara), Eugênio Lyra, Henrique Valença representando o governo municipal e ainda toda a Equipe da Agência do Banco do Brasil em São José da Laje, formada pelos gerentes Bartolomeu Rodrigues e Fernando Mesquita Jr. (em férias), além dos funcionários Antonio Neto (simplesmente este que vos escreve), Henrique Carvalho e Haiane, acompanhados de seus respectivos cônjuges.

Mas não só políticos e funcionários públicos visitam a Usina neste dia. Ex-funcionários e ex-moradores da USGA vêm de longe para prestigiar este dia. Uma usina mantém uma relação com seus colaboradores que beira o amor e o ódio mas que sempre deixa saudades. As pessoas vivem ao redor da Usina e constroem relações pessoais que têm a indústria como pano de fundo. Namoram, casam e constroem vidas a partir dessas relações.

Não pude deixar de notar a presença do Vavá, famoso lajense cantor do Orkut e Youtube, fã do Roberto Carlos e atualmente morador do Recife. O cara canta bem mesmo e sempre aparece nos meus recados no Orkut num vídeo "linkado" do Youtube cantando suas canções!

Após esta cerimônia foi servido na casa 1 da Usina Serra Grande, antiga residência do Cel. Carlos Lyra (primeiro proprietário da USGA), um almoço para os convidados, e claro a equipe do BB São José da Laje esteve lá, eu estive lá e vi o clima de festa e a humildade com que o usineiro recebe seus convidados, é uma festa linda onde todos são bem servidos e recebidos.


História Pessoal

Meu pai trabalhou por 15 anos no laboratório de sacarose da Usina Serra Grande mas numca me levou para a missa anual, sempre estava a serviço nesses dias.

Agora em 2009 já tenho 28 anos e 1 filho de 6 anos de idade e é claro que o levei para conhecer a USGA por dentro, ele ficou maravilhado com o que viu! Não imaginara o tamanho das caldeiras, e se maravilhou até com a poluição da folhigem da madeira de reflorestamento queimada para cozimento do caldo de cana na frabição, disse que parecia neve.

Mas expliquei-o que o trabalho ali é duro e desgastante, e que deveria estudar para ter uma oportunidade melhor de trabalho durante a vida... Espero que tenha entendido e guardado esta lição.





domingo, 23 de agosto de 2009

Já Provou o Café Lajense?

São 1:00 ha manhã de segunda-feira, estou vagando pela net e encontro algo inimaginável, fotos de um produto inusitado. Temos 93% de nosso território coberto de cana-de-açúcar e dou-me conta na net com o "Café Lajense", pensei que fosse brincadeira...


Não... não se trata de montagem ou anúncio de uma nova empresa aqui em São José da Laje. Encontrei primeiro as fotos mas depois o site http://cafelajense.awardspace.com/htm/cafe-english.htm, aí tudo fico explicado.

Trata-se de uma marca de café orgânico produzido na região de "Las Lajas" no Equador.

Seus produtores são pequenos cafeicultores dessa região equatoriana, que produzem o café orgânico "Café Lajense, café con sabor".

Trata-se de um café fino, premium, para ser degustado pelos melhores apreciadores de café e certificado por uma instituição renomada, cultivado com as melhores práticas orgânicas e produzido junto a Cordilheira dos Andes, pois como se sabe, os melhores cafés são os cultivados em altas altitudes.

O engraçado é que no passado São José da Laje também tinha cultivo de café, meu avó falava que plantou café e muita gente plantava por aqui, até que a crise cafeeira e o avanço da cana-de-açúcar a partir da metade do século passado fê-los abandonar de vez tal atividade.

Gostaria de saber mais sobre "La Lajas" no Equador , alguém poderia me ajudar, pesquisem e postem suas respostas nos comentários do Blog.

Adeus Dona Zezé!

A Laje está entristecida: Faleceu ontem a professora Maria José, por nós conhecida como Dona Zezé.

Pois é gente, a nossa professora de matemática no Carlos Lyra durante muito tempo, dona Zezé faleceu ontem após complicações de um derrame sofrido no ínicio da semana passada.
Dona Zezé deixou nossa cidade de luto. Pois foi sem dúvida uma pessoa querida por gerações de lajenses que foram educados naquela escola onde ela ensinara por toda sua vida profissional.
Minha última lembrança de Dona Zezé foi a 2 meses quando tive o prazer de atendê-la no guichê do caixa da agência onde trabalho. Fica comigo esta imagem de uma mulher forte, mãe de família, esposa dedicada e professora exemplar.
Seu velório foi na sua residência a rua Mal. Floriano Peixoto (antiga rua do Pontilhão) e o enterro realizou-se as 17 horas no Cemitério São José, aqui mesmo na nossa cidade. Muitas pessoas compareceram externando sua tristeza pela perda de tão nobre pessoa.
Sem dúvida alguma sua vida profissional será lembrada por todos nós que de alguma forma, como cidadãos lajenses, tivemos o prazer de tê-la como educadora em nossas vidas. E em todas as escolas desta cidade existe um professor que foi aluno da dona Zezé, como em tantos outros estabelecimentos públicos ou privados Brasil afora.
Tive a tristeza de noticiar sua morte ao amigo Alexsandro, bombeiro militar de Pernambuco, o qual externou sua tristeza pelo silêncio ao telefone e o desabafo por não poder comparecer ao cortejo fúnebre, uma vez que estava de serviço naquela corporação militar em Recife. Alex, assim como tantos outros colegas meus, ex-alunos da professora dona Zezé entre a 1ª e 4ª série dos anos 90 representou naquele momento a tristeza que nos comove.
Vai com Deus dona Zezé.
Digna de nossa homenagem!

quarta-feira, 19 de agosto de 2009

Quando teremos maturidade?

Até quando votaremos para pagar ou adquirir favores? Até quando seremos escravos de um sistema social e político imundo que nos aprisiona?
Lembro-me quando eu tinha 9 anos, era o ano de 1989 e a campanha política presidencial rolava a solta. Seria o primeiro ano que os jovens de 16 anos votariam para Presidente da República, que crime!
Sim amigos, um crime!
Aos 16 anos achamos que podemos tudo, até engravidar e se deixar engravidar... Mas não temos o correto discernimento sobre o certo e o errado das coisas. Apesar de com esta idade não sermos crianças tampouco somos adultos. Nossa percepção é eivada da euforia característica da idade.
Os jovens de 16 anos de idade, segundo a lei não podem ser empossados em cargos ou empregos públicos mas podem votar, não podem dirigir legalmente habilitados nem serem presos (eles são apreendidos) por crimes cometidos mas podem votar em bandidos que povoam nossa administração pública, prostituindo o Governo, em todas as suas esferas, vejam o que acontece no Senado e na Câmara Federal hoje.
Somente uma mente imunda e ardilosa poderia cogitar tal possibilidade. Ninguém poderia em sã consciência outorgar tal poder a um jovem que não pode sequer ser punido pelos seus atos.
E todos os anos as campanhas são direcionadas aos jovens e aos analfabetos, outra coisa que foi permitida pela atual legislação eleitoral em nome de uma liberdade que simplesmente transforma os contigentes de analfabetos em bucha de canhão para eleger corruptos de toda qualidade.
Assim os governos não se interessam de prestar uma educação de qualidade aos jovens e tampouco de incluir na educação formal os adultos não escolarizados, certamente para salvá-los de decisões tão difíceis quanto votar e ser votado.
Dizem que o homem simples (isto quer dizer analfabeto) vive mais feliz porque não tem estresse. Não tendo que se preocupar com as agrúrias da política.
Mas como sabemos a política é quem decide nossa vida: a estrada, o posto de saúde, a escola, a faculdade, o salário mínimo, o dentista... tudo isso depende de política.
O desemprego e a falta de oportunidades transforma o jovem estudante em bucha de canhão pra eleger todo tipo de gente.
O homem de bem que vive na cidade ou no campo trabalhando e gerando riquezas é um bobão sem chance alguma. O maloqueiro que não sabe o que é trabalho ou compromisso mas é filho de fulano ou de sicrano, tem dinheiro para pagar a R$ 50,00 ou R$ 100,00 o voto por cabeça, esse sim é desenrolado e tem voto pra deixar qualquer homem de bem na poeira.
Até quando meus amigos seremos nós eleitores (sim porque mais cedo ou mais tarde todos nós agimos assim) votaremos neste tipo de candidatos.
Podemos revolucionar o mundo simplesmente sendo candidatos e votando conscientemente, deixando a velha politicagem dar lugar a política de verdade.

domingo, 2 de agosto de 2009

Banda Larga chega em São José da Laje

O serviço de banda larga da Oi finalmente chega em São José da Laje. Trata-se do Oi Velox, com 300 Kbps o serviço promete facilitar a vida dos lajenses que precisam de uma conexão com melhor qualidade e confiável. Agora temos internet discada, via rádio e adsl.

Em 2000 comprei meu primeiro computador, era um K-6 2 de 500mhz da AMD (processador), na época descobri a internet, via UOL e depois IG (grátis). Estourei a conta telefônica e tive que cancelar a assinatura.
Na época não haviam lan houses por aqui.
Em 2001 entrei na UFAL e descobri a net banda larga de lá (que na época nem era tão larga, era uma porcaria) a qual eu não precisava pagar. Vivia baixando arquivos de apostilas e livros eletrônicos.
Aí o tempo passou e recentemente tivemos a Zumbi Net provendo net via rádio aqui na Laje, foi uma revolução. Todo mundo começou a comprar um computador, é que muitos até hoje acham que o PC só serve se tiver internet.
A Zumbi Net aqui cresceu demais em número de clientes, mais que o link pôde suportar. A conexão piorou e vivia caindo ou nos deixando na mão. Melhorou bastante depois que AJ Net assumiu a operação aqui na Laje, a conexão continuava horrível mas o suporte melhorou muito. Hoje a AJ Net possui três antenas instaladas, 2 aqui na Laje e 1 na Usina Serra Grande, algumas pessoas da Laje devido condições geográficas recebem o sinal da USGA, e o resultado é que o serviço para o cliente ainda é o mais viável economicamente.
Também existe aqui a LajeNet, segundo seus usuários é bem estável mas também possui as falhas características do tipo de acesso, via rádio.
Agora chegou a Oi Velox, uma verdadeira e cara revolução!

Mas o que é Oi Velox?

Segundo a Wikipédia: "Oi Velox (antigo Velox), é um serviço de acesso a internet em alta velocidade baseado na tecnologia ADSL (Asymmetric Digital Subscriber Line), transmitido via linha telefônica da operadora de telecomunicações Oi Fixo (antiga Telemar).

Atualmente as velocidades do Oi Velox são comercializadas nas versões de 150 Kbps, 300 Kpbs, 600 Kpbs, 1 Mbps, 2 Mbps, 4 Mbps, 8 Mbps e 10 Mbps.

Na Laje a maior velocidade a ser oferecida será de 300 Kpbs, acredito que se for viável, a partir do acesso a esta nova tecnologia na região deve ser aumentada a oferta de velocidade gradativamente, é como a Oi faz em todas as cidades onde chega.


Vantagens e Desvantagens

A principal vantagem é a rapidez e a constância da mesma. Com 300 Kpbs dá pra baixar arquivos de 30 megas em apenas 2 minutos, o que na serviço via rádio da AJ Net ou Laje Net é possível em mais ou menos 1 hora, devido a baixa largura de banda disponível para download destas redes.
O preço fixo em R$ 62,00 ajuda a fazer uma acomodação das despesas mensais fixas.
Uma desvantagem é que fica inviável para quem usa net casualmente para comunicar-se por MSN, acessar Orkut e possui uma renda de até 2 salários mínimos, o custo total chega a mais de R$ 152,000 uma vez que é necessário ter uma linha telefônica Oi Fixo e devido a despesa extra de R$ 40,00 de assinatura.
Comparando AJ Net ou Laje Net você gasta apenas R$ 120,00 na antena uma única vez e R$ 50,00 por mês, num primeiro ano você gastaria R$ 120,00 (antena com USB) + R$ 600,00 de mensalidade, num total de R$ 720,00, já na Oi Velox você teria que gastar por mês no mínimo R$ 40,00 de assinatura da linha telefônica, R$ 62,00 do Oi Velox e R$ 10,00 do provedor se desejar ter o modem grátis, no total de R$ 1.344,00. Dá pra você?
Se você tem 2 ou mais computadores em casa (meu caso, um notebook e um desktop) você pode instalar um roteador wi fi (eu já tenho havia comprado na tentativa de melhorar a recepção da conexão a rádio) e ter acesso a internet de todos os seus computadores. Dá pra compartilhar desta forma com os vizinhos e quem sabe até dividir os custos (procure um técnico competente para se informar ou busque no Google).

Requisitos para ter o Oi Velox

É necessário uma linha telefônica, o modem ADSL e a assinatura do serviço na Oi e um provedor de acesso. No site da Oi existem links para provedores que dão um modem ADSL grátis em troca de um contrato de fidelidade. A própria Oi faz isso por apenas R$ 10,00 já o Globo.com da poderosa rede de tv faz o mesmo por R$ 19,90 ao mês, no final do período o modem é seu. Na Globo.com o primeiro mês é grátis.
Eu escolhi a Globo.com e ganhei o pacote de exclusividade para acesso ao Brasileirão 2009, No Limite e BBB10 (estes não me interessam em nada), o melhor é o acesso livre e ilimitado a todas as publicações e reportagens do portal Globo.com, nisso aí todas as revistas da Editora Globo.

Resumindo

AJ Net e LajeNet certamente não desaparecerão com a chegada do Oi Velox, para a maioria dos lajenses não compensa tê-la e o acesso via rádio continuará sendo a melhor opção.
A qualidade da conexão via rádio deve melhorar porque a perda de clientes deve acontecer. Mas estes serviços não fecharão uma vez que poderão reajustar seus preços em até 30 %, passando de R$ 50,00 para R$ 65,00 e ainda sim ser melhor do que o Oi Velox na questão custo.
Veja bem essas mudanças são especulação minha, é o que deve acontecer. Porque compartilhar o acesso do Oi Velox via roteador wi fi nem sempre compensa, acredito que deve-se ter um computador conectado permanentemente para rotear o serviço, isso apresenta custos com energia elétrica e o desgaste natural da máquina e consequentemente perda da qualidade do link que se divide para tantos quantos forem os terminais conectados. Compensa fazer isso em edíficios onde a conexão de 1 Mega ou mais custa no máximo R$ 100,00 e assim pode ser compartilhada com mais pcs e mantendo uma qualidade considerável.

Por que mudar pra Oi Velox?

Pra mim foi por necessidade.
Estou fazendo um curso a distância e necessito sempre em horários programados entrar na rede, o que nem sempre tem sido uma experiência agradável via rádio. Quando chove nem se fala.
E o preço compensou?
Pra mim a diferença será um aumento de 30% no custo fixo mensal, uma vez que já tenho a linha, contratada unicamente para me atender quando a AJ Net não permite conectar-me.
Agora poderei assistir minhas aulas com vídeo streaming ou baixá-las para assistir remotamente via no PC e ainda captar o sinal com o roteador Wi Fi no Notebook, que já veio preparado com a devida placa wireless.

Mas gente a Oi Velox não compensa pra todo mundo não. Na maioria dos casos AJ Net e Zumbi Net vão continuar sendo a forma de acesso mais vantajosa.
Em um mercado competitivo seria o caso destas duas empresas AJ Net e Zumbi Net juntarem-se para melhorar o suporte e acesso dos clientes.
E descobrir outras formas de aumentar a receita sobre o serviço oferecido. Dá pra fazer isso. Tem espaço para tal coisa.

Qualquer dúvida, deixe um recado no mural ou poste um comentário.



domingo, 26 de julho de 2009

Frota Lajense de Carros e Motos Bate Recorde em 2009


Lajenses reagem a crise capitalista mundial e da dos do Conatran revelam que em 2009 frota lajense de carros e motos teve aumento de 15%.

Em abril de 2008 São José da Laje havia emplacado 469 carros e 253 motos, já em abril de 2009 havia um aumento de 7,25% no número de automóveis e de 30,04 no número de motos, um aumento quase 4,2 vezes maior em relação ao crescimento do número de carros. Segundo dados disponíveis no Conatran até abril de 2009 haviam 503 carros e 329 motos na frota lajense.

Já em Ibateguara em abril de 2008 haviam 208 carros e 157 motos na cidade conhecida como a Suíça Alagoana, em abril de 2009 eram 218 e de motos 190, portanto aumento de 4,8% nos carros e 21% no de motos.
Apesar de Ibateguara apresentar melhores dados sociais e IDH do que nossa São José da Laje segundo dados da PNUD/ONU, além de maior expectativa de vida, entre abril de 2008/2009 tivemos maior aumento percentual no número de emplacamentos de automóveis e motos.

Em União dos Palmares haviam 1954 carros e 2132 motos emplacadas em abril/2008, em abril de 2009 existiam 2041 carros e 2557 motos, um aumento de 4,45% nos carros e 19,93% nos números de motos.

Isso revela uma surpresa: os lajenses, percentualmente compraram mais carros que os palmarinos e ibateguarenses!

Eu pensei que esta seria a única surpresa mas naquele mesmo abril de 2008 haviam 106.950 automóveis e 22.039 motos emplacadas na nossa capital, Maceió, já em abril de 2009 haviam 114.391 carros e 26.268 motos na capital alagoana. Uma nova surpresa: em Maceió o número de carros aumentou apenas 6,96% e o de motos 19,23%, acréscimo percentual menor que o ocorrido em São José da Laje.

No total foi um aumento de 15% no total da frota lajense no período de abril de 2008 a 2009.

O que estes dados nos revelam?

Que a concentração de renda em Alagoas revela-se maior nos municípios mais pobres, com poucas famílias tendo o maior percentual de renda e a maioria das famílias com a menor fatia da renda, e o pior, com uma distância assustadora daqueles mais ricos.

Num município pobre como São José da Laje isso é fácil de traduzir.
Basta olhar as ruas e ver quem têm emplacado carros novos, infelizmente não são os funcionários públicos e privados, são em sua maioria um elite privilegiada pelas graças do poder político, vereadores e funcionários comissionados de alto escalão da administração pública e pessoas ligadas a eles.

Fato que só poderá ser revertido com a diversificação econômica e a consequente liberação da economia local do setor público, no momento, a fonte dos maiores salários e com uma estabilidade relativa, em média 4 anos, um governo...

A prefeitura municipal já anunciou suas intenções de diversificar a economia local com ações afirmativas e em conjunto com as demais esferas governamentais. Existe a intenção de construir um conjunto habitacional às margens da BR 104, e com isso forçar o crescimento da cidade rumo ao progresso.

Mais dados como este estão disponíveis em sites do governo federal, esperamos que você lajense também faça suas pesquisas e veja onde estamos e onde precisamos chegar, aí vai ficar mais fácil escolhermos os caminhos no futuro.

Fonte: www.conatran.gov.br

sábado, 25 de julho de 2009

As Histórias da Família Sarney e a Gestão de Pessoas no Setor Público

Enquanto o Brasil inteiro fica escandalizado com a política de recursos humanos do Senado Federal os funcionários de empresas de economia mista, as quais têm participação pública e privada, sendo que o governo possui maioria das ações, sofrem com esta política todos os dias nas manobras que se escondem por trás da "Ascenção Profissional".

Uma grande empresa de economia mista no segundo trimestre de 2009 estava para reorganizar sua política de gestão de pessoas. Dentre as vantagens a serem oferecidas a seus colaboradores estavam bolsas de graduação, pós, cursos de qualificação profissional e ampliação de assistência social prestada.
Um ponto polêmico dentre todo o pacote foi a inserção de proibição de que funcionários lotados em suas unidades não pudessem sair de lá antes de completados 2 anos da posse inicial ou derivada, em caso de promoção.
O que foi feito então?
Alguns funcionários desta dita empresa conseguiram estranhamente com 1 ano, 1 ano e meio ou menos superar-se entre seus colegas, revelando-se no discurso dos patrocinadores (os padrinhos) com uma competência acima da média. Estes foram promovidos imediatamente, antes que as atuais mudanças entrassem em vigor.
Nas unidades em que se poderia abrir uma vaga este candidato "escolhido" foi automaticamente nomeado pelos seus gerentes com anuência da diretoria regional, quando isto não foi possível as vagas em outras unidades próximas foram tomadas de assalto (em tese todos os funcionários interessados deveriam concorrer a função oferecida, a qual deveria ter sido amplamente divulgada pela comunicação interna, é a norma da empresa e o costume esperado) e preenchidas por pessoas indicadas pela gerência regional.
Tal prática foi um banho de água gelada na esperança de ascenção em que muitos dos funcionários apostavam. Nada contra promoções com menos de 2 anos numa empresa, mas em qualquer setor é necessário um tempo para que sejam incorporadas as práticas naturais da empresa a rotina do funcionário. Além do mais um gerente de uma empresa numa pequena cidade do interior não possui a mesma rotina de um gerente do mesma empresa numa unidade da capital - são demandas diferentes.
Mas esta empresa ligada ao governo federal desconhece tal lógica, apesar de apostar no contrário em seu discurso. Ao pagar graduação, pós graduação, cursos de inglês, espanhol, subsidiar compra de livros, revistas ligadas a sua área de atuação, avaliar constantemente seus colaboradores por meio de provas escritas, fomentar certificações externas, possivelmente gasta dinheiro que seria melhor aplicado, uma vez que na hora de promover seus colaboradores segue a "cartilha dos Sarney", o negócio é ser amigo do rei.
Tá achando que é a sua empresa? Dê uma olhada nos promovidos ao seu redor e tire a prova.

sexta-feira, 17 de julho de 2009

40 Anos da Enchente de 1969 em São José da Laje

Documentário da TV Educativa de Alagoas mostra imagens da enchente que varreu São José da Laje em 1969. Há ainda relatos de sobreviventes e vocês poderão ver este lajense que vos escreve em sua primeira aparição como Historiador, 2 anos após a formatura em História pela UFAL em 2007.

Em meados de março fui contactado por uma pessoa da equipe da TV Educativa sobre a possibilidade de conversarmos um pouco sobre a enchente de São José da Laje, nossa cidade que segundo consta, foi realmente riscada do mapa em 14 de março de 2009 pela enchente do rio Canhoto.

Hoje pela manhã consegui ver parte do resultado do trabalho que foi realizado a partir de entrevistas comigo, Cabo Lucas (Zito), Valdemar Matias, Senhor Zezito e com imagens de nossa São José da Laje. Tive sorte de procurando no Google encontrar um blog chamado Página Aberta, disponível em http://paginaaberta.wordpress.com e dali cheguei ao vídeo no YouTube, copiei os links que vocês podem assistir agora.
Enviem seus comentários!

Parte 1



Parte 2

Notícias da Laje!

Após os festejos juninos a cidade volta ao normal. Tem chovido por aqui esses dias. A vida continua... e eu Comprei uma moto nova!


Foto tirada da internet.

Vendi minha moto como havia postado antes pra fazer um grande investimento, mas este parece que desandou, infelizmente nem todas as pessoas têm a palavra como documento e o que dizem não é algo que se deva dar tanto crédito. Eu não sou assim, quando eu falo uma coisa sustento até o fim, posso mudar de idéia, desde que o que eu tenha dito não tenha surtido efeito de compromisso, tenho menos de 30 anos mas aprendi com meus antepassados a ser um homem de palavra!

Voltando ao normal, não resisti e comprei uma nova Bros, a 2009, queria uma Tornado mas custava uns R$ 11.000,00 e assim era melhor um carro usado, por hora fiquei com a Bros que é show, muito melhor que a 2007.

Quem quiser comprar não vai se arrepender, só se sonhar com uma Shudown, e olha, eu tava pensando em comprar uma Dafra 250 mas o ano passado todo só fabricaram menos de 1000 unidades então vi que a reposição de peças seria um desafio danado, resolvi ficar com a Honda Bros 150 mesmo, não me arrependi e fiquei com medo de numca me esforçar pra comprar um carro, porque a bichinha é gostosa de andar.

A primeira moto foi pra revisão de 1000 km uns 4 meses depois de comprada, esta como já estou habilitado tem 9 dias e já rodou 486 km, assim acho que daqui 1 semana terei que levar esta pra concessionária Honda.
Terça-feira fui até Caruaru-PE, eu e minha esposa, a bichinha tremeu pra subir umas 2 ladeiras comigo e minha esposa (mais de 150 kg juntos) mas chegou e voltou de Caruaru inteirona, a volta só não foi melhor porque escureceu rápido, esqueci que no inverno isso acontece mais cedo. Tínhamos que voltar logo e não descansamos, então foi cansativa a viagem, a próxima não será porque teremos mais tempo.

terça-feira, 9 de junho de 2009

Vendi minha Bros...


Não me lembro do tempo em que tinha vontade de comprar uma moto, minha paixão era uma CG Titan, imaginava até a cor, sonhava com ela, seria azul... Em maio de 2007 realizei o sonho, melhor ainda, comprei uma Honda Bros 2007, preta, linda... Hoje este sonho passou, 2 anos de muitas emoções e muito zelo depois, vendi minha "Negona".


Foram quase 24 meses, de 31/05/2007 a 09/06/2009. Nossa relação de emoção e fantasia acabou hoje. Vendi minha Honda Bros, minha "Negona".
Quando a gente vende um bem para comprar outro talvez não seja tão pesado apartar-se daquele, melhor ainda deve ser quando se está deixando ir embora algo que não atende nossa necessidade...
Com minha Bros foi diferente, eu gostava muito dela, eu me sentia alegre em pilotá-la pela cidade ou nas curtas viagens até Maceió pela BR 104, porém melhor ainda era viajar pelas estradas vicinais daqui. É certo que não conheci metade do que queria conhecer com minha Bros pois em 2007 quando a comprei estava aprendendo pilotar, em 2008 nas férias em Março as chuvas não me encorajavam a sair sozinho cortando lama. Minha Bros foi pouco usada! Se fosse uma pessoa talvez não se sentinsse bem de não me mostrar todo o seu potencial.
Em outubro 2008 consegui a tão sonhada CNH, foi uma luta de quase 1 ano mas finalmente fui aprovado no teste do DETRAN-AL. Esse período de outubro de 2008 a maio de 2009 foi o que mais curti com a "Negona", fomos a Maceió umas 6 vezes, a penúltima enfrentei a chuva pela BR 104.
Um menino que aos 15 anos com seu próprio trabalho comprou uma Monark Barra Circular 2005 sonhava com uma Titan, mas aos 26 anos comprou uma BROS 2007, dá pra entender o que é isso?
Minha Monark eu paguei em 4 x R$ 70,00 ao Tércio em sua loja. Mas a Bros custou bem mais que isso, e apesar dos juros baixos ofertados pelo melhor banco do país, isto é, o Banco do Brasil, a necessidade de mais segurança e comodidade afastou-me de minha moto .
Casado, com 1 filho e a esposa não dava mais pra ir as festas de moto. A gota d'agua foi o casamento de um amigo no mês passado, eu e minha senhora chegamos de moto, (isso não foi nada mau) o ruim mesmo era o medo de chover...
E como não dá pra ter as duas coisas juntos... Decidi abrir mão da Negona e entregá-la a alguém que merecesse e pudesse ter mais excelentes emoções com ela.
Um amigo nosso, comprou-a para seu filho. Fiquei muito satisfeito pois ainda vou ver a Negona rodando pela cidade e pela zona rural. Será muito bem utilizada.
O Régis, amigo nosso aqui da cidade agora vai me atentar pra comprar um carro, eu sei que vai, ele já fazia isso antes imagina agora. Mas não vou ceder, isso é um plano para 2010 ou 2011.
Para agora somente a tão sonhada casa própria, outro motivo bastante forte para vender a moto, afinal temos que ter as prioridades em 1º lugar na mente.

Mas o desejo continua...

Um dia eu vou comprar um carro, mas não vai ser um sonho realizado, será um desejo de consumo alimentado por necessidades comuns aos consumidores emergentes (pra não dizer outra coisa). Nossa família vai crescer e é melhor um transporte que possa nos abrigar em viagens e no dia a dia.
Minha tara de moto continua, acabei de ver as novas Honda que substituírão a CBX 250 e a Tornado XR 250, são lindas mas custam R$ 12.600,00 e R$ 14.000,00, neste caso um carro fica melhor, vamos ver o que dá...
Se não der, já sabe, no mínimo uma Bros 2009 ou quem sabe 2010 e o plano é uma 250!

Por hora, estou estudando pra uma prova de Administração e por isso vou ficar sem escrever por uns dias...



quarta-feira, 3 de junho de 2009

Em versos, promotor denuncia injustiça contra "ladrões de coco" - vale conferir

Como poderia deixar de publicar em meu blog um post do Ricardo Mota, com o parecer em ritmo de cordel, do promotor Flavio Gomes da Costa, da comarca de Porto de Pedras acerca da prisão de 2 "ladrões de coco".

SR. DR. JUIZ DE DIREITO DA COMARCA DE PORTO DE PEDRAS Autos nº 031.08.500055-9

( O texto, abaixo, é de autoria do promotor Fávio Gomes, de Porto de Pedras. É um parecer em cordel, onde ele denuncia a injustiça social na Justiça formal. )

MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE ALAGOASPROCURADORIA GERAL DE JUSTIÇA EXMO. SR. DR. JUIZ DE DIREITO DA COMARCA DE PORTO DE PEDRAS Autos nº 031.08.500055-9

Sr. Julgador;

A vida é tão ingrata, e o pior quando dá muitas vezes é injusta no ato de cobrar. O processo em curso é mais um dos casos que somente se quer punir os desamparados, que pelo peso que se dá ao fato fica sujeito a opressão do Estado.

A estória é bem simples que da dó até de falar, pegaram três cabras tirando coco e a recomendação da policia era cadeia já!

E assim foi, por conta do acontecido, ficaram dois deles quase dois meses detidos.

E o caso não terminou não, e o valor dos cocos que os acusados levarão era sem expressão.

No todo foi sessenta e nove reais, na divisão, caberia a cada um valor tão insignificante que é até uma injustiça trata-los como meliantes.

O pior, é o que a gente vê no meio político, nas rodas das altas autoridades, onde se mete a mão e com vontade.

Os acusados, coitados, desempregados, sem condição de ganhar o pão, a custa de tudo isso passaram grande privação.

Ficaram presos, mesmo sendo primários, e ainda tiveram que levar a fama de ladrões e homens safados .

Interessante, o que se vê é que os verdadeiros ladrões do erário, que metem a mão em mais de um milhão, são tratados de homens de bem e pessoas da mais alta distinção.

Um dos acusados, na policia falou, “eu levei os coco seu doutor”.

"Mas seu doutor, estou desempregado, e com três crias para dar de comer, na verdade o que eu queria era fazer os meninos parar de sofrer."

Enquanto o homem do colarinho branco, quando é pego metendo a mão, grita logo, "eita seu juiz é um absurdo tão me chamando de ladrão!"

Os acusados por conta dos cocos, confessaram a condição de ter metido a mão, mas eu pergunto seu Juiz, é motivo para prisão?

Sessenta e nove reais, quase dois meses de prisão, será que precisa de mais aflição?

Para corrigir uma injustiça, cabe ao defensor da lei, dizer, senhor juiz vamos então resolver, reconheça a insignificância e diga que esse fato não pode ter importância.

Agindo assim, justiça vai fazer e dessa forma, fica o desejo desse humilde promotor, que um dia coloquemos nem que seja por um dia na prisão os que metem a mão no dinheiro que pertence aos meninos sofredores da nossa nação.

É o parecer. 03/06/09

Flávio Gomes da Costa -Promotor de Justiça

Fonte: Blog do Ricardo Mota

segunda-feira, 1 de junho de 2009

Concurso dos Correios: 5000 Vagas - Vagas Pra União e Laje!

Concurso dos Correios será aberto em até 60 dias. Muitas vagas em Alagoas, vagas em União dos Palmares e região (inclui São José da Laje e Ibateguara). Não se engane com cadastro de reserva, em 2004 foi aberta 1 vaga e foram convocados 12 candidatos aprovados só em União dos Palmares, 2 foram da Laje.

A Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos anunciou concurso para preenchimento de aproximadamente cinco mil vagas de nível médio.
Isto porque, a partir de 1º de junho, 5.587 funcionários deverão se desligar dos Correios devido ao Programa de Demissão Voluntária (PDV). A previsão é de que haja vagas para todos os estados e que sejam lançados diversos editais. Atualmente, a empresa está em processo de licitação para escolha das organizadoras, que deverão ser contratadas até final de julho. Já os editais deverão ser publicados logo após.
"Em princípio, pretendemos repor a quantidade de funcionários. A área de recursos humanos já está preparando um edital, que deve sair em uns 60 dias", afirmou o presidente dos Correios, Carlos Henrique Custódio. De acordo com o presidente, a maioria das contratações deve ocorrer para cargos nas áreas de atendimento e distribuição, ou seja, para carteiro e atendente comercial (nível médio).
Atualmente, carteiro recebe vencimentos de R$1.450,90 (salário base de R$648,15, mais R$185,25 de adicional de atividade e auxílio-alimentação de R$617,50). Já o cargo de atendente tem vencimentos de R$1.373,02 (salário base de R$648,15, mais R$107,37 de adicional de atividade e auxílio-alimentação de R$617,50). A empresa oferece ainda valetransporte, convênio médico e assistência odontológica extensiva aos dependentes. Os trabalhadores serão contratados em regime celetista e a jornada de trabalho será de 44 horas semanais, podendo haver escala e revezamento nos domingos e feriados. As seleções terão validade de um ano, podendo ser prorrogadas por mais um ano.
Nos últimos concursos realizados em diversos estados, a prova objetiva para carteiro constou de 40 questões, igualmente distribuídas por Português e Matemática. Já para atendente, o número de questões e disciplinas sofre variações, podendo versar sobre Português, Matemática, Noções de Informática e Conhecimentos Específicos. Para o cargo de carteiro há ainda teste de capacidade física (barra fixa; impulsão horizontal e corrida de 12 minutos), além de teste de robustez física. Os Correios têm hoje cerca de 115 mil funcionários em todo o país.

Fonte: www.folhadirigida.com.br

Apostila recomendada:
Como os assuntos geralmente, para carteiros, emprego para o qual há mais chances de contratação são matemática básica e português, recomendamos revisar assuntos da 5ª a 8ª série do primeiro grau e buscar editais anteriores.
Mas caso não seja possível recomendamos uma apostila excelente da Livraria Dirigida, cliquem na imagem abaixo para comprá-la. O quanto antes melhor!

Corram pra conquistar sua vaga!

sábado, 30 de maio de 2009

Este ano tem São João em São José da Laje


A Prefeitura Municipal prepara um São João de Arrebentar o Balão em São José da Laje. Nada mais nada menos que 16 noites de festa! Atrações regionais e locais, apresentações de quadrilhas e muito mais!


Visando o resgate cultural de nossa sociedade, a Secretaria Municipal de Educação e Cultura, enquanto articuladora de relações socio-educacionais, buscando desenvolver ações de conservação do nosso patrimônio histórico e cultural, preservando nossas raízes apresentará o maior São João que São José da Laje já viu!
Foi com palavras como as acima inscritas que recebi o folder entitulado "Projeto Junino - São João em São José", das mãos da Secretaria Municipal de Educação Profª Ana Aparecida.
A alegria foi tamanha ao ver que teremos apresentações culturais e artistas locais incluídos neste São João em São José. Meu filho terá a chance de ver uma quadrilha matuta e um forró pé de serra da melhor qualidade.
E para os moderninhos haverá bandas como Máquina do Tempo, Expresso Forronejo, Banda Miragem, Originais do Forró, Sirigaita do Forró, tudo a gosto de quem curte esse forró moderno e eletrônico, eu particularmente gosto, porém entre eles e um forró pé de serra, prefiro o último, ainda mais no São João.
Sendo assim, como cidadão lajense estarei presente as apresentações de Dólar do Acordeon, Forró do Luiz Paixão e Ivaldo Maceió, bem como Claudio Rios. Não deixarei de prestigiar os artistas da minha terra.
Serão 16 noites de puro forró concentrado na Praça Multieventos, mais precisamente no palhoção central que será entitulado "Arraiá do Arrasta Pé em São José", segue a programação:

1. Dia 12/06 - Abertura dos Festejos Juninos
Apresentação de Quadrilhas
Guardiões do Forró
Evaldo Silva

2. Dia 13/06

Forró Luiz Paixão
Zé Mocó
Claudio Rios

3. Dia 14/06

Apresentação de Quadrilhas
Forró Luiz Paixão
Simone Rodrigues

4. Dia 16/06

Forró Luiz Paixão
Galeguinho de Caruru
5. Dia 17/06

Forró Luiz Paixão
Geraldino do Forró

6. Dia 18/06

Forró Luiz Paixão
Dólar do Acordeon

7. Dia 19/06

Forró Luiz Paixão
Djair e Banda
Máquina do Tempo

8. Dia 20/06

Forró Luiz Paixão
Expresso Forronejo
Ivaldo Maceió

9. Dia 21/06

Forró Luiz Paixão
Djair Forró Pé de Serra
Sirigaita do Forró

10. Dia 23/06
Apresentação de Quadrilhas
Bacamarteiros de Caruaru
Originais do Forró
Vereda Tropical

11. Dia 24/06

Concurso de Sanfoneiros
Forró Luiz Paixão
Forró Pesado

12. Dia 25/06

Forró Luiz Paixão
Dólar do Acordeon

13. Dia 26/06

Forró Luiz Paixão
Mourinha do Forró
Gilberto e Banda

14. Dia 27/06

Forró Luiz Paixão
Xameguinho
Banda Miragem

15. Dia 28/06

Forró Braiado
Flôr de Mandacarú

16. Dia 30/06

Encontro Intermunicipal de Quadrilhas
Forró Luiz Paixão

Pois bem meus amigos lajenses que estão longe de casa, venham pra Laje neste São João que vocês não ficarão parados, sabe como é né! Além dos Forrós nas casas dos amigos vocês terão o maior São João da Laje acontecendo na Praça Multieventos.

Fonte: Prefeitura Municipal de São José da Laje/Secretaria Municipal de Educação e Cultura

Obs.: Este blog é pessoal, possui domínio registrado em entidade idônea nos Estados Unidos. Não recebe nenhum tipo de incentivo ou subsídio de qualquer governo ou grupo político. Por ser pessoal visa apenas os objetivos do seu idealizador, sendo um dos quais divulgar as ações efetivadas em São José da Laje, quer sejam obras do poder público ou da sociedade civil. Meus comentários são opiniões acerca do que acontece em nossa cidade. A única coisa em que sou candidato é em concurso público.
Aguardem o nosso portal dos lajenses no endereço: WWW.SAOJOSEDALAJE.NET.
Em fase de produção. Quer ser um colaborador? Envie um e-mail para netohis@hotmail.com.