domingo, 26 de julho de 2009

Frota Lajense de Carros e Motos Bate Recorde em 2009


Lajenses reagem a crise capitalista mundial e da dos do Conatran revelam que em 2009 frota lajense de carros e motos teve aumento de 15%.

Em abril de 2008 São José da Laje havia emplacado 469 carros e 253 motos, já em abril de 2009 havia um aumento de 7,25% no número de automóveis e de 30,04 no número de motos, um aumento quase 4,2 vezes maior em relação ao crescimento do número de carros. Segundo dados disponíveis no Conatran até abril de 2009 haviam 503 carros e 329 motos na frota lajense.

Já em Ibateguara em abril de 2008 haviam 208 carros e 157 motos na cidade conhecida como a Suíça Alagoana, em abril de 2009 eram 218 e de motos 190, portanto aumento de 4,8% nos carros e 21% no de motos.
Apesar de Ibateguara apresentar melhores dados sociais e IDH do que nossa São José da Laje segundo dados da PNUD/ONU, além de maior expectativa de vida, entre abril de 2008/2009 tivemos maior aumento percentual no número de emplacamentos de automóveis e motos.

Em União dos Palmares haviam 1954 carros e 2132 motos emplacadas em abril/2008, em abril de 2009 existiam 2041 carros e 2557 motos, um aumento de 4,45% nos carros e 19,93% nos números de motos.

Isso revela uma surpresa: os lajenses, percentualmente compraram mais carros que os palmarinos e ibateguarenses!

Eu pensei que esta seria a única surpresa mas naquele mesmo abril de 2008 haviam 106.950 automóveis e 22.039 motos emplacadas na nossa capital, Maceió, já em abril de 2009 haviam 114.391 carros e 26.268 motos na capital alagoana. Uma nova surpresa: em Maceió o número de carros aumentou apenas 6,96% e o de motos 19,23%, acréscimo percentual menor que o ocorrido em São José da Laje.

No total foi um aumento de 15% no total da frota lajense no período de abril de 2008 a 2009.

O que estes dados nos revelam?

Que a concentração de renda em Alagoas revela-se maior nos municípios mais pobres, com poucas famílias tendo o maior percentual de renda e a maioria das famílias com a menor fatia da renda, e o pior, com uma distância assustadora daqueles mais ricos.

Num município pobre como São José da Laje isso é fácil de traduzir.
Basta olhar as ruas e ver quem têm emplacado carros novos, infelizmente não são os funcionários públicos e privados, são em sua maioria um elite privilegiada pelas graças do poder político, vereadores e funcionários comissionados de alto escalão da administração pública e pessoas ligadas a eles.

Fato que só poderá ser revertido com a diversificação econômica e a consequente liberação da economia local do setor público, no momento, a fonte dos maiores salários e com uma estabilidade relativa, em média 4 anos, um governo...

A prefeitura municipal já anunciou suas intenções de diversificar a economia local com ações afirmativas e em conjunto com as demais esferas governamentais. Existe a intenção de construir um conjunto habitacional às margens da BR 104, e com isso forçar o crescimento da cidade rumo ao progresso.

Mais dados como este estão disponíveis em sites do governo federal, esperamos que você lajense também faça suas pesquisas e veja onde estamos e onde precisamos chegar, aí vai ficar mais fácil escolhermos os caminhos no futuro.

Fonte: www.conatran.gov.br