domingo, 29 de agosto de 2010

Nasceu Vitória Régia

Vitória Régia aos 4 meses de idade e quase 6 Kg.
Vitória Régia aos 33 dias de vida.

Mais de 6 meses sem atualizar o Blog Antonio Neto Século XXI, resolvi então pedir desculpas aos meus amigos e leitores Brasil afora.

Meus amigos e irmãos lajenses que lêm meu blog, realmente a tarefa de manter um blog constantemente atualizado não está sendo fácil, principalmente desde que fui transferido, a pedido, para a cidade amiga de Colônia de Leopoldina, onde minha jornada é 2 horas diária maior e a noite longe da família dedico-me a solidão dos livros e artigos em “pdf” da Faculdade.

Mas de lá pra cá tantas coisas aconteceram!

Escândalos políticos pincelaram a História de São José da Laje, uma nova enchente quase riscou o velho centro de São José da Laje, semelhante a 1969, porém sem vítimas fatais e a minha vida pessoal...

Diante de tantas coisas boas e más que aconteceram, tantas críticas poderiam ser escritas mas como o blog é meu e pessoal, vou compartilhar com vocês esta fase da minha vida, inesquecível.

Minha vida pessoal está recheada de novidades amáveis, como o nascimento da minha amada Vitória Régia, segundo fruto do meu casamento com Dona Elisangela, companheira e esposa desses longos 9 anos.

Este fato por si só me isentará de alguma culpa quanto a atualização do Blog.

Em meados de Outubro passado soubemos que estava a caminho mais um filho, já tínhamos o Tiago Jeferson, hoje com 7 anos de idade. Ficamos muito felizes com a notícia. Uma gravidez planejada nos moldes modernos realmente tem seus benefícios, para mim só tenho a elogiar, perdoe-me os críticos.

A imaturidade da primeira viagem ao país dos pais quando do nascimento do Tiago não me abalou e estive muito mais pleno no papel de futuro pai desta vez. Descobri que criar filhos é uma tarefa apaixonante!

Em meados do 5º mês de gestação minha esposa afastou-se do trabalho nos Correios devido picos de hipertensão. Os exames mostraram seu quadro do que chama de “pré- eclampsia” e foi imediatamente afastada de suas funções. Soubemos nesta época que uma menina vinha a caminho, entenda uma menina!

Pra mim o que importava era a saúde, menino ou menina tanto faz, mas no fundo do coração, o pai sempre espera um menino... Vi que a vida reservou-me um novo desafio, nunca me vi pai de uma garota e agora este é o meu destino, conto com a sabedoria dada por Deus para administrar tudo isso.

Pois bem no 6º mês Vitória Régia resolveu nascer, e nasceu!

No dia 1º de Abril de 2010 nasceu minha princesinha. Eu estava em Colônia de Leopoldina quando recebi a ligação dizendo que minha esposa iria para Maceió pois Vitória iria nascer naquele dia. Saiu da Laje umas 22 horas do dia 31 de março e deu a luz nas primeiras horas da madrugada do dia 1º de Abril.

Aí começou uma luta, a luta pela sobrevivência. Nosso primeiro filho nascera no 7º mês com 2,060 kb, mas ficou no hospital apenas 3 dias. Vitória nasceu com 1,450 kg e ficou na UTI neonatal do Hospital do Açúcar por longos 43 dias e mais 5 de observação. Foram 48 dias de luta e fervorosas orações a Deus Jeová.

Nesse período ela teve parada cardiorrespiratória, infecções e necessitou de algumas transfusões sanguíneas. Os médicos só diziam que teríamos de aguardar porque tudo que poderiam fazer fariam, restando tão somente a resposta do metabolismo dela ao tratamento. Faziam questão de frisar quão grave era a situação e nos preparássemos para momentos difíceis, ao que mareavam de lágrimas os meus olhos...

Em casa eu tinha uma mãe sem a filha e ainda tinha que me contentar porque estava viva, lutando sozinha (sem a mãe) na UTI Neonatal do Hospital do Açúcar.

Imaginem como foi dura para Dona Elisangela esta fase, após o parto não estar com sua filha.

"Tenho certeza que as orações dos irmãos e irmãs em todas as Igrejas que pedimos que orassem foram, juntamente com as nossas súplicas a Deus, levadas a Ele e Vitória está conosco, próxima de completar 5 meses de vida, saudável e sorridente."

Engraçado, que nesta luta pela vitória da Vitória contamos com muita ajuda em orações, e na verdade era tudo que podíamos pedir, porque o acompanhamento médico foi de responsabilidade da Cassi, nosso plano de saúde no Banco do Brasil. Então não precisávamos de dinheiro, de tratamento vip no hospital, de nada materialmente falando, tão somente da ajuda espiritual dos irmãos na fé e amigos fieis que elevaram ao Senhor dos Exércitos suas orações.

Até o momento, nos exames que já foram feitos nenhuma seqüela do tratamento a base e antibióticos foi encontrada. Acreditamos que Deus esteve adiante em tudo.

E hoje eu também posso cantar a Deus a Minha Vitória!

Nenhum comentário: