quinta-feira, 14 de outubro de 2010

Estudantes protestam contra ameaça de fechamento de Universidade

Manifestação aconteceu em São José da Laje, onde está instalada a Universidade Aberta do Brasil

 

foto1

 

Os mais de 400 alunos que estão matriculados nos cursos oferecidos pelo Pólo Universidade Aberta do Brasil (UAB), vinculada ao Ministério da Educação (MEC), no município de São José da Laje, Zona da Mata alagoana, realizaram protesto no final da manhã desta quinta-feira (14) em frente à sede provisória da instituição e se reuniram com representantes da Prefeitura da cidade para cobrar a continuação das aulas. Cabe ao Poder Executivo construir e manter o prédio onde funcionam os cursos de graduação, entretanto, os alunos alegam que a Prefeitura não está cumprindo com a sua responsabilidade e temem que a UAB fechem às portas.


“Estamos desesperados porque o MEC já desaprovou os nossos cursos porque a Prefeitura não conseguiu fazer a sede da Universidade. Já tentamos buscar explicações da Prefeitura, mas ninguém nos diz nada. É preciso que o Município entenda que são 405 estudantes que estão buscando a formação profissional, concluir um curso superior. E o detalhe é que não são alunos apenas aqui da Laje, tem gente de Maceió, Rio Largo, Santana do Mundaú, União dos Palmares, Ibateguara e até de cidades de Pernambuco. Será que vamos perder a chance de ter o diploma?”, questionou Claudionor Brito, representante do curso de Administração Pública.


O protesto foi iniciado em frente à sede provisória da Universidade, que está instalada no anexo da agência do Banco do Brasil, no Centro da cidade. De lá, o grupo de alunos seguiu para a sede da Prefeitura, onde foi recebido pelo secretário de Governo Maurício Canuto. “Queríamos confirmar se realmente a UAB vai fechar às suas portas. Entretanto, o secretário não tinha qualquer informação a respeito da Universidade, não sabia nada sobre a ameaça de suspensão do convênio firmado com o governo federal”, explicou Lucineide Silva, aluna do curso de Pedagogia.

foto2


Segundo os manifestantes, foi o vice-prefeito da cidade, José Wílson, que informou ao grupo, por telefone – depois do contato feito pelo secretário de Governo -, que a Prefeitura estaria ‘adotando providências’ para impedir o fechamento da UAB. “Ele nos pediu um tempo para dar essa resposta e marcou uma reunião para receber uma comissão de estudantes para a próxima terça-feira, dia 19, na sede da Secretaria Municipal de Educação, Ciência e Tecnologia. Disse que esteve em Brasília e tem informações das ações que estão sendo executadas. Embora a Prefeitura não tenha nos comunicado nada durante esses meses todos, decidimos acabar com o protesto e aguardar esse posicionamento do Município. Todavia, vamos continuar mobilizados. Caso percebamos apenas conversa afiada da Prefeitura, faremos uma manifestação gigantesca. Uma cidade pobre como a Laje, não pode se dá ao luxo de ter uma Universidade fechada”, criticou Claudionor Brito.

Obra inacabada

Os estudantes também alegaram que existe uma obra inacabada, onde estavam sendo construídas as dependências da Universidade Aberta do Brasil. “As obras começaram na gestão passada e achamos que a Prefeitura não quis dar continuidade a elas porque foi iniciada por um outro prefeito. Entretanto, entendemos que a Educação deve ter tratada como prioridade e não simplesmente como uma questão política”, condenou Lucineide.
O grupo disse ainda que a UAB já teria informado que não haverá vestibular no final deste ano para a abertura de novas vagas. “Fomos comunicados que não serão mais ofertadas vagas devido à falta de infraestrutura da instituição, que foi reprovada por não possuir uma sede própria. E a responsabilidade da sede é justamente da Prefeitura. O prazo dado ao Município vence agora em 30 de novembro e estamos desesperados, com medo sermos obrigados a abandonar o curso na metade”, lamentou o aluno de Administração.
A Gazetaweb tentou entrar em contato com os secretários Maurício Canuto e José Wílson, mas os seus telefones estavam fora da área de serviço.

Fonte: Gazetaweb

Disponível em: http://gazetaweb.globo.com/v2/noticias/texto_completo.php?c=214500

Nenhum comentário: