quinta-feira, 6 de dezembro de 2007

Meu Projeto de Férias...


Em 2007 gozei as minhas primeiras férias laborais da vida. Fui a Salvador com a família rever uns parentes e alguns lugares que eles não vão esquecer tão cedo... Para o ano de 2008 meu intinerário será outro, passarei as férias na Laje, e viajarei por todas as brenhas, sítios, fazendas, povoados, rios e riachos que ouvi dizer que existem durante minha infância nas conversas longas com meu avô. Será uma busca por descobrir na nossa cidade cenas bonitas para meu novo projeto "Laje In Foco", uma exposição fotográfica dos cantos mais distantes e bonitos de São José da Laje. E minhas férias serão usadas para realizar este projeto. Usando uma máquina digital sem muitos apetrechos eu conseguirei e alicerçado nos conhecimentos fotográficos adquiridos nos cursos de Fotografia do Instituto Denver e Curso Multimídia de Fotografia da National Geographic.
Mas vou dar uma canja: após horas de tentativa e de acertos de hora, passando de 10 em 10 minutos do ponto estratégico consegui esta foto, ainda não tá perfeita, mas em breve conseguirei uma melhor...

O que é Taturana?

Agora com essa fama da polícia federal caçar anjos pela terra, e aqui em Alagoas esta busca têm-se tornado rotineira, surge a necessidade de explicarmos, vez por outra, o signifcado das palavras com as quais são batizadas as tais operações.

Não farei nenhum comentário acerca desses anjos, uma vez que a imprensa comercial já dispôs muitas informações para se entender o caso, ademais, cabe a justiça apurar e julgar os fatos, cabe a nós eleitores somente votar bem nas eleições.

Afinal todo mundo reclama dos políticos que temos mas eles não vão pra lá sozinhos... Nós somos os culpados!

Taturana ou tatarana (do tupi Semelhante ao fogo, parecido à Xana) é o estado larvar (lagarta) das Mariposas (Brasil) ou traças (Europa) do género Lonomia e outras. Estas lagartas têm pilosidades e são potencialmente perigosas. Há algumas espécies com venenos poderosos, como a Lonomia obliqua, denominadas "taturanas assassinas", que podem provocar hemorragia, insuficiência renal e até levar à morte. Nos Estados do sul do Brasil chegaram a ocorrer mais de mil casos de acidentes com lagartas do gênero Lonomia, vários destes resultando em morte. Pesquisas da ESALQ indicam que a proliferação destas deve-se ao fato de vários predadores naturais (contra os quais, curiosamente, os pêlos não são defesa) terem desaparecido com a devastação do ambiente natural. Desta forma, as taturanas, que antes alimentavam-se das folhas da aroeira e do cedro, passaram a alimentar-se das folhas de árvores dos pomares, diminuindo assim a distância do habitat humano e aumentando a incidência de acidentes.


Predadores naturais


A pesquisa da USP descobriu que o principal predador da Lonomia obliqua é uma mosca da família Tachinidae, que deposita cinco ou seis ovos na taturana. Ao nascerem as larvas alimentam-se de seu corpo. Uma vespa da família Ichneumonidae faz o mesmo, embora deposite apenas um ovo. O vírus loobMNPV é nocivo apenas para a Lonomia obliqua, que fica com movimentos lentos e aparência amarelada. Um verme da família Mermitidae também foi identificado como predador, além de um percevejo da família Pentatomidae que consegue sugar os fluidos da lagarta.
Não foi identificado nenhuma ave ou mamífero que agisse como inimigo natural, o que justificaria a existência dos pêlos venenosos.
O único remédio eficiente para acidentes com a Lonomia é o Antilonômico, feito a partir das cerdas pelo Instituto Butantan.
Vc já viu alguma TATURANA? Conhece essas aí? Então veja algumas comuns aqui na zona rual de São José da Laje.