domingo, 23 de agosto de 2009

Já Provou o Café Lajense?

São 1:00 ha manhã de segunda-feira, estou vagando pela net e encontro algo inimaginável, fotos de um produto inusitado. Temos 93% de nosso território coberto de cana-de-açúcar e dou-me conta na net com o "Café Lajense", pensei que fosse brincadeira...


Não... não se trata de montagem ou anúncio de uma nova empresa aqui em São José da Laje. Encontrei primeiro as fotos mas depois o site http://cafelajense.awardspace.com/htm/cafe-english.htm, aí tudo fico explicado.

Trata-se de uma marca de café orgânico produzido na região de "Las Lajas" no Equador.

Seus produtores são pequenos cafeicultores dessa região equatoriana, que produzem o café orgânico "Café Lajense, café con sabor".

Trata-se de um café fino, premium, para ser degustado pelos melhores apreciadores de café e certificado por uma instituição renomada, cultivado com as melhores práticas orgânicas e produzido junto a Cordilheira dos Andes, pois como se sabe, os melhores cafés são os cultivados em altas altitudes.

O engraçado é que no passado São José da Laje também tinha cultivo de café, meu avó falava que plantou café e muita gente plantava por aqui, até que a crise cafeeira e o avanço da cana-de-açúcar a partir da metade do século passado fê-los abandonar de vez tal atividade.

Gostaria de saber mais sobre "La Lajas" no Equador , alguém poderia me ajudar, pesquisem e postem suas respostas nos comentários do Blog.

Adeus Dona Zezé!

A Laje está entristecida: Faleceu ontem a professora Maria José, por nós conhecida como Dona Zezé.

Pois é gente, a nossa professora de matemática no Carlos Lyra durante muito tempo, dona Zezé faleceu ontem após complicações de um derrame sofrido no ínicio da semana passada.
Dona Zezé deixou nossa cidade de luto. Pois foi sem dúvida uma pessoa querida por gerações de lajenses que foram educados naquela escola onde ela ensinara por toda sua vida profissional.
Minha última lembrança de Dona Zezé foi a 2 meses quando tive o prazer de atendê-la no guichê do caixa da agência onde trabalho. Fica comigo esta imagem de uma mulher forte, mãe de família, esposa dedicada e professora exemplar.
Seu velório foi na sua residência a rua Mal. Floriano Peixoto (antiga rua do Pontilhão) e o enterro realizou-se as 17 horas no Cemitério São José, aqui mesmo na nossa cidade. Muitas pessoas compareceram externando sua tristeza pela perda de tão nobre pessoa.
Sem dúvida alguma sua vida profissional será lembrada por todos nós que de alguma forma, como cidadãos lajenses, tivemos o prazer de tê-la como educadora em nossas vidas. E em todas as escolas desta cidade existe um professor que foi aluno da dona Zezé, como em tantos outros estabelecimentos públicos ou privados Brasil afora.
Tive a tristeza de noticiar sua morte ao amigo Alexsandro, bombeiro militar de Pernambuco, o qual externou sua tristeza pelo silêncio ao telefone e o desabafo por não poder comparecer ao cortejo fúnebre, uma vez que estava de serviço naquela corporação militar em Recife. Alex, assim como tantos outros colegas meus, ex-alunos da professora dona Zezé entre a 1ª e 4ª série dos anos 90 representou naquele momento a tristeza que nos comove.
Vai com Deus dona Zezé.
Digna de nossa homenagem!